Em 8 de março de 1931 nascia o Real Madrid Baloncesto, fundado após muita insistência de Angel Cabrera – um espanhol que morou na Argentina e praticou basquete em sua estadia no país Sul-americano e se apaixonou pelo esporte.

O nascimento de uma equipe lendária. (Foto: Real Madrid CF)


De volta Espanha e sem ter onde praticar basquete, Angel pediu (lê-se implorou) ao então presidente do clube Luis Usera para que a modalidade fosse implantada pelo time Blanco. Usera, vendo a oportunidade de expandir a marca Real Madrid não tardou a aceitar o pedido de Cabrera.
Logo após a confirmação de que o basquete viria a ser implantado pelo Madrid, o jornal Diário ABC publicou na seção do time Merengue uma nota onde informava que os interessados em praticar o esporte deveriam comparecer na direção do Clube. (E aqui vemos o quão amador era o esporte na Espanha)

Na segunda temporada após a fundação, o Madrid já indicava o que viria a ser

1 Ano após a fundação (1932), o Madrid já dava indícios de que se tornaria uma enorme potência não só no futebol, mas também de basquete na Europa. Nesse ano, terminou o campeonato de Castela (torneio da cidade de Castela-Mancha, região que faz fronteira com Madri.) em segundo lugar, perdendo para o Rayo Club de Madrid.
Na temporada seguinte (1933), os times voltaram a se enfrentar – o começo de uma grande rivalidade. – na final do mesmo torneio, e dessa vez o resultado foi favorável ao Real Madrid. O time dos Blancos começava a chamar atenção da Espanha: 22-16 e o título de melhor da região foi nosso.

O título de Castela, conquistado em 1933 (Foto: Real Madrid CF)

9 anos de rivalidade: A disputa pelo trono de Madri

A consolidação da modalidade veio nos anos 40. (Foto: Real Madrid CF)


O Real Madrid Baloncesto já tinha um rival: Rayo Club de Madrid. Desde a primeira final protagonizada por esses dois, eles começaram a disputa para descobrir quem seria o Rei que mandaria na cidade de Madri.

Ortega, Castellví e Arnáiz. O trio que dominou o Rayo (Foto: Real Madrid CF)


Logo nos três primeiros anos foram três finais realizadas por Real e Rayo. A competição acirrada entre os clubes durou exatamente 9 anos, até que em 1941 o Rayo foi desativado por motivos desconhecidos. E o trono de Madrid pertencia ao Rey.

No trono para nunca mais sair

Com o Rayo sendo desativado, o Real Madrid que tinha como presidente Antonio Santos Peralba, contratou os dois principais jogadores do rival: Os irmãos Pedro e Emílio Alonso, que passaram de terríveis rivais para excelentes aliados.

Os títulos começariam a ser acumulados. (Foto: Real Madrid CF)


Com a liderança dos irmãos cubanos, o Madrid conquistou o Tri – campeonato de Castela, nos anos de 42, 43 e 44. Feito que foi repetido ao final da década de 40. Mais precisamente de 48 à 50.

Os melhores sempre jogam no Madrid. (Foto: Real Madrid CF)


Assim, o Real Madrid fincava a bandeira branca de uma vez por todas e se tornava a maior instituição de basquete do país.

E apenas a Espanha já não era suficiente…

27 Anos depois de sua fundação, e o RM Baloncesto ja não cabia mais na Espanha: O clube foi atrás do domínio do continente.

Após o retorno obrigatório para casa o Madrid voltou a jogar torneios locais. (Foto: Real Madrid)


Em 1958, no dia 12 de março, o Real Madrid campeão espanhol de Baloncesto estreava na Euroleague ( a Champions do Basquete) vencendo o time belga Royal IV por 78-59 e, como naquela época a Euroleague era uma competição de mata-mata, houve um segundo jogo e a equipe Blanca perdeu por 43-57, porém se classificou pelo placar agregado.
Após ter se classificado, o Real Madrid foi obrigado a abandonar a competição, pois o governo espanhol proibiu a equipe de viajar para a União Soviética.

Duas bolas no aro para depois acertar um lindo arremesso de 3 pontos

Na temporada de 1961-62, – gestão de Santiago Bernabéu – o Madrid entrou na história ao se tornar o primeiro clube da Europa ocidental a estar em uma final de Euroleague. Nessa final, o time Merengue foi superado pelo Bc Dinamo Tbilisi, da Rússia.
Em 1963, os 5 de Madrid chegaram na final europeia novamente e mais uma vez o clube foi derrotado, dessa vez perdendo para o CSKA de Moscow, mais um time Russo.

A primeira taça continental. (Foto: Real Madrid CF)


Temporada seguinte, em 1964, os soviéticos estavam se preparando para os jogos olímpicos de verão e não participaram da Euroleague. Dessa vez com o caminho livre dos soviéticos, o Real Madrid chegou a final contra o Spartak Brno e venceu por 29 pontos de vantagem, bailaram sob o comando de Joaquín Hernández.

Emiliano, o colecionador de títulos (Foto: Real Madrid)


No retorno dos Soviéticos à competição, em 1935, o Real Madrid alcançou o posto de melhor time do continente ao bater na final o grande clube da história da competição até então, o CSKA MOSCOW. Um show de Emiliano e Luyk, dupla histórica madridista, e o fim das derrotas em finais para times Soviéticos.

Luyk, o melhor pivô de sua época. (Foto: Real Madrid)


Na década de 60 o Real Madrid Baloncesto conquistou 23 troféus: 9 Ligas espanholas, 6 Copas do Rei, 4 Torneios de Natal e 4 Euroleagues.

Santiago Bernabéu celebra com a equipe a segunda Taça da Europa consecutiva (1965). Nessa temporada, o Real Madrid ganhou o campeonato, a Copa do Rei e a Taça da Europa. (Foto: Real Madrid)

E quando você diz que é o melhor, você tem que ser melhor em tudo que se propõe a fazer

Em sete décadas, o basquete do Real Madrid saiu de um completo amadorismo, – onde contratava seus jogadores por anúncios de jornais – para se tornar o melhor clube de Basquetebol da Europa. Um crescimento do tamanho do clube. Uma potência, não somente espanhola e européia, uma potência mundial.

A décima Euroliga. (Foto: Real Madrid)

Ser um grande clube de futebol e ter uma equipe de basquete é fácil, muitos conseguem. Mas, ser o maior clube de futebol e ter a maior e melhor equipe de basquete, é só para o Real Madrid.