Vinicius Júnior poderá abrir o processo para ter sua dupla nacionalidade no final da temporada e deve receber todo o apoio do Real Madrid que for necessário. Latino americanos precisam ter 2 anos de residência na Espanha para obter o direito do processo, como exige na legislação do país, e o jogador de 19 anos completará esse tempo em julho.

São duas etapas deste processo, na primeira as autoridades competentes responsáveis analisam sua situação e ao ter o aceite segue para a segunda etapa, um exame elaborado pelo Instituto Cervantes que consiste em perguntas de conhecimento sobre a Constituição e realidade social e cultural espanhola. O exame tem 25 perguntas, com tempo máximo de 45 minutos para responde-las e deve ter um acerto de 60%, ou seja, 15 perguntas. Após aprovação é liberado o passaporte espanhol e de imediato deixa de ser um dos jogadores que ocupam a vaga de extracomunitário.

Atualmente, além de Vinicius Júnior, Militão e Rodrygo são outros dois jogadores que ocupam a vaga de jogadores extras que não possuem nacionalidade de países europeus. As três vagas que são dispostas, atualmente estão ocupadas por jogadores brasileiros.

Real Madrid tem o jogador japonês Takefusa Kubo em empréstimo ao RCD Mallorca até junho e o brasileiro Reinier Jesus, recém contratado, jogando pelo Castilla, ambos devem entrar em disputa para subir ao primeiro time quando essa vaga for liberada. Não há restrição para Copa do Rei e Supercopa, apenas na La Liga, a UEFA tem vagas para jogadores que são estrangeiros.

O processo pode demorar, depende da velocidade com os procedimentos nas duas etapas e geralmente demoram alguns meses, podendo haver atrasos.