Fede Valverde foi o último entrevistado do programa ‘Campo de Estrellas’, da TV oficial do Real Madrid. O jovem meio-campista de 21 anos, que contra o Eibar marcou seu primeiro gol pelo clube madridista, repassou os momentos de sua carreira, falou sobre sua ótima fase no time titular e quanto à confiança recebida por Zinedine Zidane: “Não há palavras para descrever Zidane. Só de ele vir cumprimentar já faz você aprender. É incrível ele dizer que confia em mim”, contou.

Ida ao Real Madrid: “Eu sonhava em jogar em um estádio enorme e muitas pessoas gritavam meu nome. Quando o Madrid perguntou por mim, foi um dia “louco”. Eu estava na sala e eles me ligaram para ir para outra sala dizendo que o Madrid me queria. Eu queria ficar calmo, mas era o Real… Eu não podia acreditar quando uma pessoa do Real Madrid veio e me disse que estava interessada em mim. É lindo, é espetacular, chegar ao time que eu sonhei, que eu queria. Eu não pude acreditar. Eu estava deixando amigos e família para trás. Doeu muito, mas não pude deixar passar essa oportunidade”.

Chegada à Espanha: “Para mim foi um luxo, eles me servirem comida na hora certa, ter um quarto perfeito… tudo foi incrível. Quando meus pais vieram me ver, percebi que precisava tê-los por perto”.

Início no Real Madrid Castilla: “Eu chegava para o Castilla. Simplesmente chegar à cantera já é uma grande mudança. Quando você chega em Madri, você tinha que estar pronto para o que fosse acontecer. Falava muito com Forlán e me disse que precisava pedir conselhos a quem julgasse adequado e que tinha que lutar. Aproveitei ao máximo do Castilla e aprendi muito”.

Empréstimo ao Deportivo La Coruña: “Foi um golpe, porque eu adoraria estar sempre em Madri. Mas então pensei na oportunidade de jogar com pessoas mais velhas e experientes. Disse que sim. Custou-me, mas eu realmente queria ter o meu espaço”.

Incorporação ao time principal do Real Madrid: “Fico de fora da convocação com o Uruguai e estava treinando apenas esperando a oportunidade de ficar no Real Madrid. Eles dizem que Julen Lopetegui me diz que quer me ver nos Estados Unidos. Fui com todo o entusiasmo e desejo do mundo. Julen me ajudou muito, me deu a confiança que eu precisava”.

Companheiros de time: “Aqui no Madrid há muitos bons conselheiros. Toni (Kroos) é um ídolo que eu nunca imaginei que pudesse compartilhar um vestiário com ele. Admiro sua tranquilidade e sua maneira de enxergar futebol, ele nunca fica nervoso e eu não sei como ele faz isso. Também Casemiro. Estamos sempre falando sobre futebol. Isso me mostra uma personalidade que eu adoraria ter, me mostra o que um jogador do Madrid deve ser”.

Foto: Getty Images Sport/Juan Manuel Serrano Arce