Completando 10 dias desde o início do estado de emergência no país, já são 39.673 infectados e 2.696 mortes. Em 14 de março era apenas 5.753 infectados e 136 mortes, o avanço do vírus cresceu no mesmo ritmo de países como Itália e Coreia do Sul inicialmente, mas agora parece estar superando.

O maior número de casos se concentra na capital, Madri, com 30% de infectados e 56% de mortos do número total do país. Já são 12.352 infectados, 1.050 em cuidados intensivos, 1.535 mortes e 2.291 pacientes tiveram alta médica. Durante o período de 24 horas foram registrados 1.777 novos casos positivos e mais 272 mortes. As regiões da Catalunha, País Basco e Andaluzia vem logo atrás com grande número de infectados do país.

O Palacio del Hielo, maior espaço para eventos da capital espanhola, foi transformado em um hospital de campanha com inúmeros leitos e sua pista de patinação no gelo será usada como necrotério para manter os corpos dos pacientes que forem a óbito.

Devido ao grande número de infectados, Espanha tem sua curva de crescimento ainda em alta, registrando o maior crescimento dentre os países que registraram casos do novo coronavirus (Covid-19). O Ministério da Saúde da Espanha divulgou no último boletim diário (24) que já são 39.673 testados positivo ao vírus, 2.633 pacientes em cuidados intensivos, 2.696 óbitos e 3.794 foram curados. Entre 24 horas foram registrados 6.584 novos positivos e 514 mortes.

Em um balanço feito pelo periodista espanhol El País com informações do Ministerio da Saúde nacional, com 18.959 casos, não foi registrado nenhuma morte de crianças entre 0 a 9 anos (dentre os 129 casos), adultos de 50 a 59 anos são os mais infectados (3.129) e a maior taxa de letalidade está com idosos acima de 80 anos, mais de 17% sendo 540 óbitos de 3.020 casos registrados.

A Espanha tem a segunda maior taxa de letalidade, ficando atrás de Itália que possuí mais de seis mil mortos. Também já são mais de quatro mil profissionais da saúde, dentre médicos e enfermeiros, infectados.

O país teve seu primeiro caso positivo registrado em 1 de fevereiro e o segundo 18 dias depois. O crescimento exagerado tomou início no dia 25 do mesmo mês. Hoje o país todo continua em quarentena, em total distanciamento social, sendo esta a maior medida preventiva adotada mundialmente.