A atacante sueca Kosovare Asllani foi direta e ácida ao criticar a diretoria do Real Madrid feminino

Kosovare Asllani, atacante sueca, deixará o Real Madrid ao fim do mês de junho, quando seu contrato se encerra. Aproveitando sua saída iminente, Asllani foi dura e direta em suas críticas à direção do Real Madrid feminino, alegando que os dirigentes obrigaram-na a jogar lesionada, contrariando assim as orientações médicas. Além disso, a sueca disse que o ambiente também é cruel com as outras jogadoras, e apontou que a situação no time masculino pode ser similar.

“É difícil entrar em detalhes, mas acho que há uma cultura no clube que não é saudável para as jogadoras. Eu estive nessa situação, pois praticamente me obrigaram a jogar lesionada e não recebi ajuda. A diretoria não escutou a equipe médica, e no fim eu tive que tomar a decisão para ter uma carreira esportiva maior. O clube é um ambiente muito insalubre e perigoso para as jogadoras”, afirmou Asllani. Deixando o Real Madrid após três anos, a sueca está se reunindo com sua seleção para a disputa da Eurocopa.

“Acho que fiz muito pelo clube desde o começo e sempre reparei que o clube não tratou bem suas jogadoras ao longo desses anos”, continuou. “Já tiveram muitos casos. Preciso falar, pois nada mais está sendo feito. Tentei mudar as coisas, mas o ambiente que se criou ali é ruim. Não foi coincidência que eu me lesionei e depois tive uma recaída, já que constantemente te pressionam para jogar machucada ou doente. Isso deve acontecer no futebol masculino, também. Não é um ambiente saudável”, finalizou a jogadora.

Saldo final da passagem de Asllani

Asllani terminou sua passagem pelo clube com 21 gols em 40 jogos na última temporada, ajudando o Real Madrid a se classificar mais uma vez para a Champions League. A sueca afirmou ter tentado sair no verão anterior, mas resolveu dar outra chance ao time merengue.

“Queria ter saído no verão passado, mas resolvi dar uma última chance. Você quer marcar a diferença, já que é um grande clube e você quer ajudá-lo a ganhar”, afirmou. “Fui uma grande parte da história do Madrid e fiz muito por ele, mas infelizmente é um ambiente que não é saudável, e não sou só eu que digo. Várias jogadoras tiveram que passar por muita coisa. Isso não está bem, não é algo de um clube de elite”.

“Não me arrependo de ir ao Real Madrid”, continuou Asllani. “Eu digo isso para o clube se tornar um ambiente profissional. Tomara que isso aconteça. Eu me importo muito com o Real Madrid, mas o clube está em mãos erradas”, finalizou a sueca.