Hat-trick histórico do camisa 9 construiu uma virada incrível e eliminou o PSG da competição

Nesta quarta-feira (9), o Real Madrid recebeu o PSG pelo jogo de volta das oitavas de final da Champions e venceu o time visitante por 3 a 1. Em um jogo alucinante, os madridistas cresceram no segundo tempo e contaram com uma noite mágica de Benzema para a classificação. Com três gols em 15 minutos, o francês se consagrou e sacramentou uma das grandes atuações da história da Champions.

Além de Benzema, Vinícius Júnior e Modfric também cresceram no segundo tempo e foram muito importantes para a virada. Ancelotti acertou nas alterações e o time contou com uma falha de Donnarumma para abrir o placar e iniciar a virada. Desse modo, Real Madrid agora espera o sorteio para as quartas de final e volta seu foco para LaLiga.

Escalações iniciais

O Real Madrid foi à campo com dois desfalques importantes: o volante Casemiro e o lateral Mendy, ambos suspensos. A grande dúvida antes do jogo era a presença de Toni Kroos. Carlo Ancelotti tratava Kroos como o jogador ideal para substituir Casemiro, mas foi diagnosticado com uma lesão na coxa uma semana antes da partida. Portanto, a presença de Kroos era a maior preocupação do Real Madrid para a partida.

Ancelotti escolheu arriscar e, mesmo que Kroos não estivesse 100% fisicamente, escalou o alemão entre os 11 titulares. Courtois começou no gol, Carvajal continuou titular pela lateral-direita e Militão e Alaba formavam a zaga. Nacho substituiu Mendy na lateral-esquerda, completando assim a linha de defesa.

O meio de campo do Real Madrid sofreu alterações para suprir a ausência de Casemiro. Kroos foi o primeiro volante para auxiliar a saída de bola, Modric jogava mais à frente e Valverde foi escolhido como titular. Na linha de ataque, Asensio foi escolhido ao invés de Rodrygo, ao lado de Benzema e Vinícius Júnior.

O PSG foi à campo com Donnarumma no gol, Marquinhos e Kimpembe de zagueiros e Hakimi e Nuno Mendes nas laterais. O meio de campo titular era composto por Verratti, Danilo e Paredes. Mbappé, Messi e Neymar circulam livremente pelo ataque, com Mbappé mais pela esquerda, Messi pela direita e Neymar por dentro.

Começo de jogo e primeiras impressões das equipes

O PSG repetiu a estratégia do jogo anterior: Danilo Pereira atuava como um terceiro zagueiro, Paredes e Verrati eram os volantes e Messi e Neymar eram meias mais avançados. Nuno Mendes e Hakimi atuavam bem abertos e Mbappé era a ponta mais avançada do ataque.

O Real Madrid também repetiu a formação, confiando no tradicional 4-3-3. A principal mudança foi a postura de marcação. O primeiro jogo contou com um Real Madrid mais reativo e com uma defesa mais recuada. Para o jogo da volta, o Ancelotti passou a apostar em uma postura de marcação-pressão muito intensa desde o início. Desse modo, o Real Madrid recuperou a bola 8 vezes nos primeiros 5 minutos.

Com a obrigação de vencer o jogo, o Real Madrid usava a marcação adiantada para recuperar a bola rapidamente e realizar ataques diretos. O volume ofensivo do time da casa aumentou consideravelmente com essa mudança, e desse modo, o Real Madrid ocupou o campo de ataque do PSG facilmente nos primeiros 10 minutos de jogo. No entanto, o time madridista tinha dificuldades em produzir finalizações perigosas.

A marcação alta do Real Madrid, porém, expunha as costas da linha de defesa. O PSG aproveitou essa vantagem, portanto, encaixou contragolpes apostando na velocidade de Mbappé. O francês conseguiu duas boas chances, uma em um contra-ataque e outra em uma bola roubada no campo de ataque, porém Courtois defendeu os chutes de Mbappé. O PSG também produzia através da posse de bola. Aos 20 minutos, Neymar recebeu uma bola de Nuno Mendes e chutou dentro da área, mas Courtois encaixou a bola.

Final do primeiro tempo, queda no ritmo do Real Madrid e gol do PSG

Após os 20 minutos de jogo, o Real Madrid não conseguiu mais encaixar a pressão e o PSG, assim, conseguiu controlar mais a partida. A única grande chance do time da casa foi um chute de fora da área de Benzema, aos 24 minutos, enquanto os franceses foram bem mais efetivos nas finalizações. O PSG conseguia ser efetivo nos contra-ataques e, além disso, passou a manter mais a posse. Aos 30 minutos de jogo, Messi tabelou com Neymar e tentou encobrir Courtois, mas a bola passou na frente do gol.

Aos 33 minutos, Nuno Mendes recebeu uma bola em profundidade e rolou pra trás para Mbappé, que finalizou com força e marcou um gol. No entanto, o bandeirinha marcou impedimento do lateral e anulou o gol. Após o susto, o Real Madrid passou a ter mais calma e manter mais a posse, tentando assim ocupar o campo de ataque. Carvajal ficava mais aberto na direita e Vinícius Júnior atacava aberto pela esquerda. Benzema e Asensio circulavam por dentro, Nacho cortava para a direita e Militão e Alaba se revezavam para apoiar o ataque.

A falta de efetividade do Real Madrid cobrou seu preço aos 39 minutos. Com dificuldade de furar a defesa do PSG, o Real Madrid circulava lentamente a bola no campo de ataque. Carvajal, aberto na direita, tentou driblar Nuno Mendes, que desarmou o espanhol. A bola sobrou para Neymar, que deu um belo passe para Mbappé. O francês tinha o campo aberto, já que o time do Real Madrid estava muito avançado, ganhou de Alaba na corrida e abriu o placar para o PSG.

Começo do segundo tempo

As duas equipes voltaram do intervalo sem substituições. O Real Madrid voltou a conseguir aplicar a pressão de forma mais intensa e tentou usar a posse de bola mais calmamente para atacar o PSG. Kroos era um armador mais recuado e, assim, ditava o ritmo do time de trás. Os ataques madridistas eram pelo lado esquerdo, que reunia Vinícius Júnior, Modric, Nacho e Benzema. Valverde, Asensio e Carvajal eram opções de desafogo pela direita. Com 5 minutos do segundo tempo, o Real Madrid conseguiu armar um bom ataque justamente pela esquerda, mas Asensio não conseguiu dominar a bola dentro da área.

No entanto, o Real Madrid continuou com dificuldades para ferir o PSG. Sem emplacar ataques rápidos nem conseguir construir jogadas ofensivas calmamente, o time madridista voltou a sofrer com os contragolpes do PSG. Com menos de 10 minutos de segundo tempo, Mbappé teve mais um gol anulado. Hakimi roubou a bola no meio de campo e passou-a para Neymar, que enfiou a bola para Mbappé. O francês driblou Courtois e marcou o gol, mas o bandeirinha assinalou impedimento. Poucos minutos depois, Mbappé voltou a atacar a área na velocidade, e Alaba travou o chute para salvar o Real Madrid.

Substituições, mudança de postura e primeiro gol do Real Madrid

Aos 13 minutos do segundo tempo, Ancelotti realizou as primeiras alterações. Camavinga entrou no lugar de Kroos e passou a ocupar a posição de primeiro volante. Além disso, Asensio saiu para a entrada de Rodrygo, dando mais velocidade ao ataque. As dificuldades de criação do Real Madrid continuaram, mas a intensidade do time continuou alta. O gol do Real Madrid viria justamente fruto da intensidade da marcação. Benzema pressionou o goleiro Donnarumma e o desarmou. A bola sobrou para Vinícius Júnior e o brasileiro devolveu-a para Benzema. O atacante francês, livre, abriu o placar com calma.

O gol do Real Madrid incendiou o jogo e o time da casa voltou com tudo para a partida. A falha de Donnarumma recuperou o Real Madrid no jogo, que começou a apresentar uma criatividade e intensidade ofensiva que ainda não tinha mostrado na partida. Com 25 minutos do segundo tempo, o time madridista produziu 6 finalizações, 2 delas no gol e 1 bloqueada.

O PSG passou a ter dificuldades de manter a bola após o gol do Real Madrid, e começou a sofrer com ataques rápidos. O Real Madrid voltou a ter uma grande chance com Vinícius Júnior. Benzema tentou inverter o jogo para Rodrygo, a bola bateu em Kimpembe e sobrou para Vinícius Júnior. O brasileiro ficou cara a cara com Donnarumma, mas pegou mal na bola e chutou-a por cima do gol.

Virada épica e noite mágica de Benzema

A mudança radical de postura do Real Madrid após o primeiro gol foi recompensada aos 30 minutos do segundo tempo. Modric roubou a bola de Neymar, arrancou e deu um belo passe em profundidade para Vinícius Júnior. O brasileiro invadiu a área, foi bloqueado pelos zagueiros e recuou a bola para Modric. O croata deu um passe cirúrgico para Benzema, que fuzilou o gol de Donnarumma e virou a partida.

O 2 a 1 garantia a prorrogação, mas Benzema não estava satisfeito. Três minutos depois, em mais uma jogada de velocidade com Vinícius Júnior, o ponta disputou a bola com Marquinhos e a bola sobrou dentro da área. Benzema invadiu a área vindo da direita, bateu com a parte de fora do pé e completou seu hat-trick dentro de 15 minutos, garantindo assim a vitória do Real Madrid e evitando a prorrogação. Além de confirmar a virada, o gol de Benzema levou o francês ao terceiro lugar da artilharia da Champions. Como se não bastasse, Benzema passou Di Stéfano em gols pelo Real Madrid ao completar o hat-trick.

A grande atuação de Vinícius Júnior e Modric no segundo tempo, junto da noite mágica de Benzema e das mudanças acertadas de Ancelotti engoliram o PSG no Bernabéu e sacramentaram, assim, a classificação do Real Madrid. A entrada de Camavinga deu maior liberdade a Modric e mais força ao meio de campo madridista, enquanto Rodrygo deu mais dinâmica ao ataque. O Real Madrid se junta a Liverpool, Bayern e City no grupo de times classificados para as quartas de final e espera o resultado dos jogos da próxima semana para conhecer seu adversário na próxima fase.

Ficha técnica

Real Madrid 3×1 PSG
Data: 9 de março de 2022, quarta-feira
Local: Estádio Santiago Bernabéu, Madri (ESP)

Real Madrid: Courtois; Carvajal (Lucas Vázquez), Militão, Alaba, Nacho; Kroos (Camavinga), Modric, Fede Valverde; Vini Jr, Marco Asensio (Rodrygo) e Karim Benzema. Técnico: Carlo Ancelotti.

PSG: Donnarumma; Hakimi (Draxler), Marquinhos, Kimpembe, Nuno Mendes; Danilo (Di María), Paredes (Gueye), Verratti; Messi, Neymar e Mbappé. Técnico: Mauricio Pochettino.