No próximo domingo (01), será disputado no Santiago Bernabéu o segundo ‘El Clásico’ da temporada pela 26ª rodada da La Liga. A partida vale a liderança do certame nacional – Barcelona soma 2 pontos a mais que o Real Madrid e assegura a ponta. Sobre o jogo e seus elementos, Sergio Ramos, capitou da equipe, falou para os meios de comunicação do clube.

Relevância do duelo: “Ambos timês têm ciência da importância do jogo e é preciso saber gerir tudo da melhor maneira para que a motivação que o envolve te leve à vitória. Desde que a semana começa, se vive de uma forma diferente. Provoca grande movimento midiático, mas também é por isso que se trata de um grande jogo, para a Liga, para os jogadores… Aquilo que se sente é algo muito íntimo e muito difícil de explicar”.

‘El Clásico’ em um momento crucial da temporada: “Vai ser muito disputado, pelo momento da temporada em que estamos e porque a diferença de pontos entre ambos é mínima. Pode ser ou não determinante em função do resultado, pois ainda falta muitíssimo para jogar na Liga. Estão muitos pontos em jogo e tudo pode acontecer. Para nós seria muito importante conseguir a vitória em casa, diante de nossos torcedores, algo que é também um motivacional a mais para todos nós e que nos dá maior satisfação em caso de vitória. Frente a eles teremos de ser mais fortes e deixar isso bem expresso. Tomara possamos dar um ‘murro na mesa’ e ganhar em casa”.

La Liga equibilibrada: “É um fato que a Liga está muito competitiva, mas vamos lutar por ela. Existe um grande entusiasmo em conquistá-la e, para isso, temos de estar ao nosso melhor nível. Cada ano que passa a Liga torna-se mais difícil e está mais equilibrada. Hoje não podem,os dizer que vamos ganhar em qualquer em campo, porque não é a realidade. Qualquer equipe pode te complicar. Essa também é a parte peculiar da Liga e que a torna muito mais emocionante. Para nós terá um grande impacto e proporcionará uma grande satisfação se finalmente conseguirmos o título”.

Recorde de jogador com o maior número de ‘El Clásico’ disputados: “É uma alegria enorme ser o jogador que mais vezes disputou o Clássico. Tomara possa jogar muitos mais. Isso seria um bom sinal e significaria que continuaria muitos mais anos por aqui. E se pudermos ganhar, melhor ainda. Também é uma recompensa pelo trabalho e sacrifício ao longo de tantos anos. Não se joga futebol para conquistar prêmios individuais, mas é muito importante cumprir os desafios pessoais e superar estatísticas que pareciam inalcançáveis. É uma fonte de motivação”.

Ânimo: “Mantenho intacto o entusiasmo desde que disputei o primeiro Clássico. Não jogo esse encontro como se fosse o último, jogo como se fosse o primeiro, com o máximo do entusiasmo e uma enorme vontade de conseguir vencer. O segredo está no trabalho, na dedicação e em não perder a ambição, isso é o fundamental. Manter-me neste nível é difícil, mas procuro sempre rejuvenescer para continuar lutando e a ganhando mais títulos, mantendo o entusiasmo e a ambição para conquistar coisas novas. Essa é uma das chaves”.

Capitão do Real Madrid: “Capitanear esta equipe é um orgulho enorme. Depois de tantos anos, você vai adquirindo experiência à custa de muitos jogos, muitas temporadas e muitas experiências boas e ruins. Para mim é um privilégio e um orgulho usar a braçadeira do Real Madrid. É uma responsabilidade saber que é um exemplo para milhares de jovens e para os teus próprios companheiros. Por isso, procuro ter o melhor comportamento possível, para que tanto a minha equipe como todo o madridismo se sintam orgulhosos do seu capitão”.

Zinedine Zidane: “É um grandíssimo treinador, não só pelos registos ou por todos os títulos que conseguimos com ele. Como jogador esteve muitos anos nesta casa e sabe gerir muito bem os ‘códigos’ do vestiário. Nem todos conseguem fazer isso. Pelo menos, com a naturalidade com que ele o faz. Mais ou menos utilizados, tem todos os jogadores motivados e essa é uma das suas grandes virtudes. Ele conhece perfeitamente o desempenho que pode obter de cada um de nós e para mim é o treinador ideal para uma equipe como o Real Madrid. Tomara que possamos viver outra época de grandes êxitos com ele”.

Gol de cabeça nos instantes finais contra o Barcelona em 2016 no Camp Nou: “Estávamos perdendo de 1 a 0 no Camp Nou e marquei de cabeça após um cruzamento na sequência de uma falta cobrada pelo Modric. Empatamos em 1-1 e acabou por ser um ponto fundamental para ganhar a Liga. Fomos campeões algumas rodadas mais tarde, no campo do Málaga. Foi um gol muito importante, ainda por cima com uma relevância diferente quando nos permite obter títulos”.

Foto: Getty Images Sport/Soccrates Images