Zidane reconhece que eliminação não afeta equipe para jogos decisivos da LaLiga, contudo diz que jogo contra o Sevilla será difícil

Zinedine Zidane retomou seu foco para os últimos jogos da LaLiga após ser desclassificado nas semifinais da Liga dos Campeões. Neste sábado (8), o técnico reitera que o Real Madrid não se apegará ao que aconteceu na competição europeia, mas também não deixa de dizer que o confronto contra Sevilla será difícil.

“É uma boa equipe, será um jogo diferente do Chelsea. E será difícil. Sabemos pelo que jogamos. São quatro finais. Temos de esquecer agora a Champions League e concentrar-nos no que nos resta”.

Por outro lado, Zidane não quis comentar sobre seu futuro na próxima temporada, mas também deixou nos ares a possibilidade de continuar sendo o comandante do Real Madrid. Desde que assumiu o time, o francês não apenas evita falar de renovação, mas também evita dar pistas sobre seu futuro. Portanto, o que resta é esperar.

“Vou tornar as coisas muito fáceis para o clube, porque me deu tudo. Mas o que está em causa é o Sevilla, nada mais. O Sevilla e o que resta do campeonato”.

Veja mais detalhes da coletiva de Zidane:

Hazard: “Eden se desculpou e agiu bem. Ele não queria machucar ninguém, o que é o mais importante. Não há mais, ele se desculpou, nós falamos e nada mais a dizer. Ele nos ajudará. Até agora não sei se ele conseguiu ver o jogador dentro dele. Espero que logo possamos ver aquele Hazard. Ele tem um contrato com o Real Madrid”.

Ramos: “Ele sofreu, infelizmente. O resto vai ser consertado. Não arriscamos nada em Londres, ele estava aqui para jogar. O primeiro que se ferrou é ele, porque quer estar. Queremos competir, o descanso é blá, blá. Espero poder voltar antes do final da temporada. Amanhã ele não estará lá”.

Lesões: “É uma preocupação, porque são muitos. O nosso caso é o da equipa que mais teve. Preocupa-me, claro. É um ano particular, os jogadores nunca descansam, o coronavírus, o calendário… É o que existe. Espero que para o próximo ano eles mudem e sejam mais normais, com uma pré-temporada normal”.

Críticas: “Cada um faz seu trabalho. Tenho responsabilidade na hora de ganhar e perder, é futebol. O importante é dar tudo e se não vier depois continue trabalhando. Meu pai me disse: trabalho, trabalho e trabalho. O resto é blá, blá, blá”.