Pular para o conteúdo

Real Madrid para em atuação sólida do Chelsea e é eliminado da Champions

Ingleses venceram o jogo de volta por 2 a 0 em atuação muito sólida, superando o Real Madrid por 3 a 1 no placar agregado

O Real Madrid visitou o Chelsea nessa quarta-feira (5) pelo segundo jogo da semifinal da Champions League e perdeu por 2 a 0, com gols de Timo Werner e Mason Mount. O Real Madrid apresentou grandes dificuldades de romper a defesa do Chelsea, que executou uma atuação muito sólida defensivamente e, além disso, foi muito incisivo no ataque, dominando o time espanhol praticamente o jogo inteiro.

Após o empate por 1 a 1 na Espanha, qualquer vitória simples ou empate com dois ou mais gols classificava o Real Madrid, mas a derrota por 2 a 0 eliminou o time merengue das semifinais da Champions League e levou o Chelsea para a final contra o Manchester City, que será disputada em 29 de maio.

Com essa eliminação, o foco do Real Madrid volta a ser La Liga, que ainda tem o título em jogo. O time madrilenho volta a campo no próximo domingo (9) em um confronto decisivo contra o Sevilla no Alfredo di Stéfano.

Táticas iniciais e primeiro tempo mais equilibrado

O Chelsea foi a campo com a mesma tática usada no jogo de ida, atuando em um 3-4-2-1 com Chilwell e Azpilicueta nas alas e dois meias, Havertz e Mount, por trás de Werner, que atuou como atacante central. A única mudança em relação ao jogo de ida foi a saída de Pulisic para a entrada de Havertz.

O Real Madrid, por sua vez, fez muitas mudanças em relação ao jogo de ida, principalmente por contar com muitos retornos. A tática de 3 zagueiros continuou, mas com o retorno de Sérgio Ramos para compor a linha defensiva com Nacho e Militão. Do meio pra frente, Zidane apostou em mudanças polêmicas: Kroos, Modric e Casemiro voltaram a ser titulares, enquanto Mendy foi o ala pela esquerda e Vinícius Júnior, ala pela direita. No ataque, Hazard foi titular ao lado de Benzema.

Por mais que o Real Madrid tenha apresentado dificuldades em furar o bloqueio defensivo do Chelsea desde o começo, o time espanhol não teve um início ruim. Os 3 defensores ficaram bem abertos no campo, com Nacho e Militão bem próximos das laterais. O zagueiro brasileiro ainda teve um papel ofensivo de destaque ao apresentar muitas investidas ao ataque. Sérgio Ramos, voltando de lesão, ficou mais preso na defesa, mas acrescentou muito na saída de bola da equipe.

Começo OK, mas os problemas foram se desenvolvendo

O Real Madrid, no começo do primeiro tempo, conseguiu rodar muito bem a bola e não sofreu muitos ataques do Chelsea, mas não teve muito êxito em passar da intermediária e muito menos em invadir a área do time inglês. As únicas chances do Real Madrid no primeiro tempo foram em chutes de fora da área de Modric, Kroos e Benzema, com o goleiro Mendy precisando fazer uma grande defesa para bloquear a finalização do atacante francês. O camisa 9 do Real Madrid ainda teve uma cabeçada muito perigosa que o goleiro do Chelsea espalmou para fora em uma defesaça.

Porém, com o desenrolar do jogo, as falhas da tática de Zidane foram se mostrando. Além de não conseguir invadir a área do Chelsea, o Real Madrid não conseguiu ser sólido defensivamente. O maior problema foi o lado direito que tinha Vinícius Júnior na ala. Além de deixar o brasileiro em uma posição desconfortável para ele, defensivamente ele sofreu muito, e o Chelsea conseguia atacar facilmente por ali.

Além disso, a defesa do Real Madrid não teve uma boa atuação. O Chelsea voltou a achar espaços nas costas dos volantes e os zagueiros, desse modo, sofreram muito para marcar os ataques do time de Londres, que contou com um gol anulado de Timo Werner numa jogada em velocidade que atacava as costas da defesa. O Chelsea conseguiu uma recompensa por sua superioridade aos 28 minutos do primeiro tempo, em mais uma jogada de velocidade que a defesa não conseguiu acompanhar, onde Werner aproveitou o rebote do chute de Havertz para colocar o 1 a 0 no placar.

Desenrolar do segundo tempo e mais problemas do Real Madrid

No segundo tempo, o Chelsea foi ainda mais superior e poderia ter ampliado o placar em diversas oportunidades, mas desperdiçou muitas chances criadas. Mesmo com os problemas nas costas dos volantes, na recomposição defensiva e no lado direito, o Real Madrid voltou para a segunda etapa com os mesmos jogadores e a mesma formação. Desse modo, os problemas continuaram e o Chelsea aproveitou mais que no primeiro tempo.

No segundo tempo, o Chelsea continuou com menos posse de bola (com 32% nos dois tempos), mas teve o dobro de finalizações (10 ao todo, contra 5 do primeiro tempo), mais chances criadas (5 contra 2) e 9 chutes dentro da área contra apenas 1 do primeiro tempo. Defensivamente, o Chelsea também foi superior, com mais divididas ganhas, interceptações e recuperações que o Real Madrid na primeira e na segunda etapa.

O Real Madrid continuou sofrendo ofensivamente, com apenas 3 chutes no segundo tempo e apenas um no alvo. Teve mais posse de bola, mas ela foi estéril e não conseguiu avançar em campo ao enfrentar uma defesa muito forte do Chelsea: a equipe de Zidane não conseguiu criar nenhuma chance clara no segundo tempo inteiro, e apenas uma no primeiro. Na estatística de gols previstos (xG), que calcula a probabilidade de uma chance ser convertida em gol, o Real Madrid teve apenas 0,49 gols previstos, contra 3,56 do Chelsea.

Erros de Zidane e desenrolar da partida comprometido

As substituições de Zidane não surtiram um efeito positivo e, portanto, foram alvos de muitas críticas. Marco Asensio entrou para a saída de Vinícius Júnior, e Mendy saiu para a entrada do uruguaio Valverde. Desse modo, o Real Madrid voltou a um 4-3-3, com Valverde na lateral direita e Nacho na lateral esquerda. Asensio ficou aberto na esquerda no ataque e Benzema e Hazard circularam por dentro. Rodrygo entraria mais tarde para substituir Casemiro, passando a atuar na ponta direita e o Real Madrid, assim, se postando em um 4-2-4. Com as substituições, o Real Madrid não resolveu os problemas defensivos. Além disso, continuou nulo no ataque, sem contar com a velocidade de Vinícius Júnior no ataque.

Por fim, o Real Madrid sofreu o segundo gol aos 40 do segundo tempo com Mason Mount. Com 3 a 1 no placar agregado, o Real Madrid foi eliminado nas semifinais da Champions e aposta em La Liga como o único título da temporada.

Ficha técnica

Real Madrid x Chelsea

Data: 5 de maio de 2021

Estádio: Stamford Bridge, Londres

Gols: Timo Werner 28′, Mason Mount 85′

Chelsea: Mendy; Rüdiger, Thiago Silva, Christensen; Azpilicueta (Reece James), Kanté, Jorginho, Chiwell; Havertz (Giroud), Mount (Ziyech); Werner (Pulisic). Treinador: Tomas Tuchel.

Real Madrid: Courtois; Militão, Sergio Ramos, Nacho; Vinícius Júnior (Asensio), Kroos, Casemiro (Rodrygo), Modric, Mendy (Valverde); Hazard (Mariano) e Benzema. Treinador: Zinedine Zidane.