Ancelotti antecipou escalação de Kroos, aceitou as críticas que recebeu após a derrota Champions e indicou o melhor sistema de jogo do time

Carlo Ancelotti não titubeou e indicou que Toni Kroos estará no time titular do Real Madrid na partida deste domingo (3), contra o Espanyol pela LaLiga. Assim, a tendência é que o trio multicampeão seja escalado pela primeira vez pelo treinador.

“Estamos felizes porque ele voltou. Ele se recuperou bem e vai começar jogando amanhã. Ele traz qualidade, experiência e todos sabem o que ele traz para a equipe”, disse.

Ao passo que esteja ressentido com a derrota no meio de semana, o italiano explicou que a equipe deve reagir diante da partida e esquecer o jogo passado, indagando ser necessário recuperar o orgulho.

“O jogo anterior afetou o nosso orgulho e tenho a certeza que amanhã vamos reagir, para fazer um bom jogo e dar tudo. Vamos fazer tudo o que for necessário para ganhar o jogo. Temos que ter mais equilíbrio e avaliar bem o que está acontecendo conosco. Nos últimos dois jogos tivemos dificuldade em fazer gols e temos que mudar a dinâmica para o próximo jogo”.

Ainda assim, Ancelotti tratou como “normais” as críticas que recebeu pelos últimos dois jogos do Real Madrid. Além disso, o treinador esclareceu algumas questões envolvendo Ferland Mendy, Dani Carvajal e Marcelo, laterais machucados e que podem retornar após a Data Fifa.

Confira mais detalhes da coletiva de Ancelotti:

O sistema ideal para este Madrid: “Penso que sem a bola o mais eficaz é um 4-4-2, com a bola as coisas mudam. Tentamos colocar os jogadores nas entrelinhas, o sistema com a bola é diferente. Sem o bola que tentamos defender com duas linhas de quatro, às vezes com uma de cinco, mas complica a pressão acima”.

Mendy: “Ele está muito bem, não aumentamos muito a carga porque queremos usar a parada (Data Fifa) para colocá-lo nas melhores condições. Depois desse intervalo acho que ele vai poder jogar e acho que Carvajal e Marcelo vão continuar iguais”.

O que você acha das críticas: “Eu as aceito, sejam elas justas ou injustas, e você tem que aceitá-las. É normal, eu tenho uma posição fantástica e tenho sorte de estar lá e você tem que aceitar que elas podem criticá-lo. Melhor que eles o criticam em Madrid. Acho que todos os treinadores são criticados, mas estou em um lugar que me dá muito entusiasmo”.

Como a derrota na Champions League o deixou: “É uma conclusão bastante simples e os jogadores concordaram. É verdade que cometemos pequenos erros, não muito bons na finalização, na passagem, nas suas poucas chegadas. Claro me afeta fisicamente. porque eu não durmo e penso no que aconteceu. Não sobre a moral, mas quando você não ganha, você não dorme”.

Da euforia à desilusão: “Tem que ter mais equilíbrio, isso é futebol, quando tudo era bom sabia que tem momentos piores. Não vejo como ruim, um pouco mais complicado pelo resultado, mas tem que resolva com energia”.

Descanso para Casemiro: “Não o vejo cansado, é um jogador que está bem, é importante para a equipe. Quando dou descanso a um jogador não significa que ele não mereça jogar, pois, eu fiz com Modric”.

Camavinga: “Ele se juntou muito bem, ele tem personalidade, qualidade, ele também tem que melhorar, no posicionamento ele tem que fazer melhor”.

Hazard, o que falta: “Um pouco de continuidade, algumas coisas ele faz como fazia antes. Ele precisa de mais destaque no jogo e aos poucos vai conseguindo”.